Editora VOO Homenagem Prêmio cansagração Pública Municipal

Homenagem 14/2020 Indica a Editora VOO para ser agraciada com o Prêmio Consagração Pública Municipal.

EMENTA

Indica a Editora VOO para ser agraciada com o Prêmio Consagração Pública Municipal.

Indica a EDITORA VOO para ser agraciada com o PRÊMIO CONSAGRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL, pela dedicação à cultura do livro e pela publicação de conteúdos de impacto, que têm inspirado agentes de transformação.

Justificativa

A Editora Voo nasceu a partir da leitura de um livro. Foram os livros, inclusive, que uniram os caminhos das sócias fundadoras, Claudia Kubrusly e Joana Mello, desde o começo. Morando em cidades diferentes – Cláudia em Curitiba e Joana em Belo Horizonte – as duas se conheceram em 2010, nos Estados Unidos, durante a BookExpo America. Joana, advogada, atuava na área de direitos autorais e estava participando de um dos cursos do evento. Já Claudia, também advogada, tinha ido para lá em busca de respostas. Na época, ela já atuava no Direito há sete anos, mas buscava algo que lhe trouxesse brilho nos olhos. Foi ao evento aprender mais sobre livros, pois um de seus planos era abrir uma editora jurídica.

Logo, perceberam a sintonia e trocaram contatos. Um ano se passou até que Claudia decidisse por fim abandonar de vez o Direito e se dedicar ao plano de montar o selo jurídico. Ligou então para a mineira que havia conhecido lá fora e a convidou para ser sua sócia. Juntas, montaram a Editora Doyen e chegaram a publicar um livro sobre Direito. Até que Joana se deparou com um livro que mudou totalmente o rumo da breve história juntas. 

“Comece algo que faça a diferença” era, à época, um best-seller do New York Times e não tinha sido lançado no Brasil. O empreendedor social Blake Mycoskie relatava no livro sua experiência na criação da marca de calçados TOMS Shoes e, junto a ela, o movimento One for One (Um por Um): a cada par de sapatos vendido, outro é doado pela empresa. Mycoskie queria encorajar outras pessoas a também impactar positivamente o mundo com seus negócios, mostrando como é possível ganhar dinheiro e, ao mesmo tempo, se dedicar a uma causa. Foi ali que um novo sentido se abriu para as sócias. Aquele era o tipo de história que queriam publicar: conteúdos de impacto que inspirassem agentes de transformação. 

Assim, em 2013, nasceu a Editora Voo. Um negócio que já surgia a partir de um propósito muito claro: despertar a consciência por um mundo que funcione melhor para todos. Tal como a TOMS, a empresa já se estabeleceu com o compromisso de gerar uma contrapartida social a cada exemplar vendido, seguindo o modelo Um por Um. Não por acaso, o primeiro título lançado foi justamente a versão em português do livro de Mycoskie.

Em 2016, a editora ganhou uma nova sócia, também de Curitiba. A jornalista Priscila Seixas entrou num momento chave, em que a Voo expandia seu negócio para obras infantis, lançando o selo Vooinho. Nesse caminho, a editora passou a ser reconhecida no mercado pela segmentação da proposta editorial. A curadoria é muito objetiva e os livros publicados precisam, necessariamente, estar alinhados ao propósito da empresa. O olhar para a mudança também aproximou o negócio dos modelos e pilares vinculados à nova economia, como projetos colaborativos, sustentabilidade, cadeia de produção responsável, além do impacto social positivo. 

Em 2018, a Voo conquistou a certificação como Empresa B, tornando-se uma das 3.500 companhias no mundo atestadas por meio de uma avaliação de impacto positivo, grupo do qual fazem parte a Ben & Jerry’s, a Patagonia e a Natura. A busca pela certificação se iniciou quando a editora publicou no Brasil O Manual da Empresa B, que fala sobre o movimento global de empresas que têm em comum o objetivo de transformar o mundo por meio de uma economia mais justa e inclusiva, e estão comprometidas com altos padrões de gestão e com a geração de benefícios sociais e ambientais. 

O projeto Um por Um também evoluiu no decorrer dessa trajetória. Atualmente, mais de 3% do faturamento da Voo é revertido para causas sociais, que até 2018 variavam de acordo com a obra. Apenas entre 2017 e 2018, foram doados cerca de 19 mil reais e 3.320 livros. Mas, como cada título tem uma tiragem e um ritmo de vendas diferente, essas contribuições ainda não tinham o impacto que elas desejavam. Por isso, a editora decidiu focar essa contrapartida em uma única iniciativa: o projeto Voo para um Futuro Melhor, que promove mediação de leitura com adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa. O projeto está hoje concentrado no Centro de Socioeducação São Francisco, em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba, mas em breve será expandido para outras unidades. 

A escolha por essa causa veio após conhecerem o trabalho de leitura feito por uma professora da unidade, quando um dos garotos foi convidado a apresentar a releitura que fez do poema “A arte de ser feliz”, da Cecília Meireles. Ao ouvi-lo falar daquela forma sobre sua infância e a violência que fez parte da sua vida, estava ali a concretização de uma frase que sempre foi um guia para a Voo: livros mudam pessoas. Pessoas mudam o mundo.

PROPOSIÇÃO N° 045.00040.2020

Requerimento de Anexação de documentos ao Processo/Projeto

EMENTA

Solicita anexação dos documentos necessários à proposição nº 022.00014.2020.

Requer à Mesa, na forma regimental, seja anexado(a) à proposição nº 022.00014.2020, a seguinte documentação: CNPJ da Editora Voo.

Justificativa

Solicita anexação.

Notícias relacionadas

Maria Letícia entrega Prêmio Consagração Pública Municipal a empresa Cinq Tecnologies
Maria Letícia entrega prêmio Consagração Pública Municipal a “CINQ Tecnologies”
Vereadora Maria Leticia indica transformadoras sociais para o Dia Internacional da Mulher