Audiência Pública da Ciclomobilidade recebe críticas e sugestões à gestão municipal

Integrantes da mesa diretora e participantes destacaram a importância de se pensar a cidade com foco nas pessoas

A Audiência Pública promovida pela vereadora Maria Leticia (PV) e pelo vereador João da 5 Irmãos (PSL) na tarde do dia 18 de junho destacou a importância de um planejamento urbano pensado a longo prazo e com foco na integração dos modais.

O evento, que teve início às 14h, foi transmitido ao vivo pelo Youtube e Facebook da Câmara Municipal de Curitiba e reuniu cerca de 80 pessoas.

Representantes do executivo municipal detalharam o andamento do Plano Cicloviário da cidade, mostrando que a previsão de construir 40 km por ano será extrapolada em 2021.

Ainda assim, o plano recebeu críticas. Segundo André Turbay, arquiteto, urbanista e doutorando em Gestão Urbana pela PUC-PR, a meta de quantidade é importante, mas o local onde essa infraestrutura será instalada também: “Precisamos privilegiar as pessoas que dependem da bicicleta. Não só as pessoas que escolhem a bicicleta.”

Renata Falzoni, arquiteta, urbanista, jornalista, cicloativista e vereadora suplente por São Paulo, destacou a importância de se criar planos com a participação popular, voltados para a interação com a cidade e que considerem a bicicleta com antecedência, inclusive como uma estratégia de economia. “Colocar essas estruturas depois custa muito mais caro aos cofres públicos”.

Mariana Auler, coordenadora da Associação do Alto Iguaçu Ciclo Iguaçu, pontuou a necessidade de mais proteção aos ciclistas. “Tem vários benefícios da bicicleta para a saúde e para a própria cidade, mas o que pesa é a questão da segurança. Precisamos pensar a ciclomobilidade para além do asfalto. Principalmente a questão da cultura.”

Esses e os demais encaminhamentos realizados na Audiência serão reunidos em um relatório, que será entregue aos órgãos competentes. “Essa construção coletiva tem sido a marca do nosso mandato e desta vez não será diferente”, comenta a vereadora Maria Leticia.

Participaram da mesa diretora

Ântonio Pedro Taboada, coordenador do Plano Cicloviário e arquiteto do IPPUC.

Rosângela Maria Battistella, superintendente de trânsito de Curitiba, da SETRAN.

Gustavo Garrett, gestor de programas de segurança viária de Curitiba, da SETRAN.

André Turbay, arquiteto e urbanista, mestre e doutorando em Gestão Urbana pela PUC-PR, professor e diretor de cultura e esporte da PUC-PR e ciclista.

Renata Falzoni, arquiteta e urbanista, jornalista, cicloativista e fundadora do Night Biker’s Club do Brasil. Comanda hoje o portal e canal Bike é Legal, com mais de 280 mil inscritos.

Mariana Auler, coordenadora da Associação do Alto Iguaçu, Ciclo Iguaçu.

Notícias relacionadas

Maria Letícia entrega prêmio Consagração Pública Municipal a “CINQ Tecnologies”
Relatório da Audiência da Crise Hídrica é aberto para consulta pública
Ciclomobilidade será tema de audiência na Câmara