Comissão de Saúde acata projeto da vereadora Maria Leticia: oxigenoterapia nas casas de idosos

Na manhã desta segunda-feira (11), a Comissão de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte da Câmara Municipal acatou o projeto da vereadora Maria Leticia Fagundes (PV), presidente do colegiado, que obriga as clínicas, unidades e residências geriátricas sediadas em Curitiba a manterem equipamentos destinados à oxigenoterapia contínua. De acordo com a autora da proposição (005.00331.2017), o tratamento, não farmacológico, é considerado de suma importância para pacientes portadores de insuficiência cardiorrespiratória crônica, para que haja o pronto atendimento em quadros de crise.

“A maioria dos idosos internados em instituições de longa permanência é portadora de distúrbios respiratórios, como asma brônquica, enfisema pulmonar, entre outros, que frequentemente requerem assistência imediata para superação dessas crises respiratórias. Quando algum idoso necessita de um atendimento rápido, as casas chamam algum atendimento emergencial que por vezes é demorado, prejudicando sobremaneira a saúde do residente”, justifica a parlamentar.

As exigências serão obrigatórias a todas as entidades de longa permanência para idosos já instaladas no município e àquelas que vierem a ser instaladas futuramente. Conforme a proposta, os equipamentos deverão estar sempre em perfeitas condições de uso, acompanhados dos complementos de funcionalidade. A fiscalização do cumprimento da lei, caso seja aprovada, caberá à Secretaria Municipal de Saúde, por meio das suas unidades competentes – a parlamentar deixa para a regulamentação da matéria pela prefeitura as penalidades a serem definidas no não cumprimento da lei.

Conforme o texto, a regulamentação deverá ser feita pelo Executivo no prazo de 120 dias a partir da data da sua publicação, “cujo ato, além das penalidades que serão aplicadas em caso do seu não cumprimento, determinará também: indicações; tempo de utilização; limitações de uso; toxidade; efeitos colaterais e outras questões técnicas que serão definidas pela Secretaria Municipal de Saúde”.
 

Texto: Câmara Municipal de Curitiba – Link 1 Link 2

Foto: CMC

 

Notícias relacionadas

Maria Leticia sugere ampliação de vagas de estacionamento prioritárias próximo a Associação Paranaense dos Portadores de Parkinsonismo
Maria Leticia debate em plenário da Câmara situação caótica no atendimento pediátrico nas UPAs de Curitiba
Câmara vota nesta segunda-feira (9) inclusão da Síndrome de Edwards no calendário oficial do município