Crise hídrica será discutida em audiência pública da Câmara de Curitiba

A Comissão de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Assuntos Metropolitanos da Câmara Municipal marcou para 29 de abril uma audiência pública para discutir a crise hídrica de Curitiba e cidades ao redor. A audiência ocorrerá por sistema virtual e poderá ser acompanhada a partir das 14 horas, pelo YouTube, Twitter e Facebook da Câmara de Curitiba, com participação pelo chat.

O encontro público tem o objetivo de discutir a origem dos problemas de abastecimento de água na cidade. De acordo com membros do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), a falta de chuva não é a causa fundamental da crise, sendo a falta de investimentos um dos grandes fatores. “É preciso construir uma visão de que o acesso à água é direito fundamental que deve ser bem cuidado, estando a serviço das utilidades urbanas e ambientais. E não ser mercadoria que alguns setores se apropriam, explorando para benefícios econômicos”, comenta Robson Sebastian Formica, do MAB.

A vereadora Maria Leticia (PV), presidente da Comissão de Meio Ambiente, diz que a crise hídrica vai muito além da falta de chuva. “Há anos, técnicos da Sanepar previam as condições em que vivemos hoje, com necessidade de um longo racionamento e bairros sofrendo dias sem água. Se tiveram tempo para planejar ações que diminuam impactos negativos, por que não o fizeram?”, questiona a vereadora.

Dentre os tópicos que serão discutidos no encontro, estão o racionamento do abastecimento, o caráter metropolitano da origem da crise e a política tarifária.

Participam da audiência membros da sociedade civil, incluindo movimentos ambientalistas, além de cidadãos consumidores, representantes do poder público e pesquisadores de universidades. Também estão sendo convidados representantes da Sanepar, Prefeitura de Curitiba, de outras cidades da Região Metropolitana e Governo do Estado.

Notícias relacionadas

Relatório da Audiência da Crise Hídrica é aberto para consulta pública
Em audiência, Sanepar é criticada pela falta de planejamento
Maria Leticia quer melhorar condições de trabalho das Associações de Reciclagem de Curitiba