Maria Leticia alerta sobre casos de feminicídio e critica machismo

No grande expediente da sessão plenária desta quarta-feira (06), Maria Leticia Fagundes (PV) manifestou preocupação quanto ao crescimento do feminicídio no Brasil. Segundo ela, todos os dias, quatro mulheres são assassinadas no país. "Temos a 5ª maior taxa de feminicídio entre 84 nações pesquisadas, apesar da Lei Maria da Penha. Está virando uma banalidade termos mulheres assassinadas simplesmente por serem mulheres”, lamentou, ao defender o aprimoramento da rede de combate à violência contra a mulher. “[Essa rede] não se restringe em atender a mulher e mandá-la de volta para casa.”

Confira o pronunciamento da vereadora sobre os casos de feminicídio:

 
A vereadora informou que, somente no Paraná, foram abertos 168 inquéritos policiais relacionados ao feminicídio em 2018. “Precisamos pensar nisso. A violência está aí fora, ao nosso redor”, complementou. Ela ainda se solidarizou com a deputada estadual de Santa Catarina, Ana Paula Silva (PDT), que sofreu ataques na internet e foi alvo de comentários considerados machistas pela vereadora, em relação à roupa usada pela parlamentar na sua posse na Assembleia Legislativa catarinense. “O feminismo não mata, o machismo mata”, disparou, ao receber apoio dos vereadores Bruno Pessuti (PSD) e Colpani (PSB), que criticaram o fato de que o currículo da deputada deveria ter sido destaque pelos comunicadores, ao invés dos trajes. Assista:

Texto e Foto: Câmara Municipal de Curitiba 

Notícias relacionadas

Maria Leticia apresenta dados sobre Mapa da Violência contra Mulher 2018
Queremos Todas Vivas: Dia Estadual do Combate ao Feminicídio terá ação no centro de Curitiba
Maria Leticia destaca casos de feminicidio e importância Lei Maria da Penha