Maria Leticia critica “elitização da medicina” e desinteresse nas vagas do Mais Médicos

Cerca de 18% das vagas oferecidas no programa Mais Médicos do Ministério da Saúde não foram preenchidas, o que demonstra a necessidade de uma nova etapa prevista para os dias 23 e 24 de janeiro, destinada a profissionais brasileiros formados no exterior. Sobre o assunto, a médica e vereadora Maria Leticia Fagundes se manifestou recentemente e declarou estar preocupada.

“Minha crítica é que a medicina está elitizada. São poucas vagas para estudar em universidades estaduais ou federais e as particulares cobram um absurdo. Quem paga 10 mil reais de mensalidade vai trabalhar nos rincões? A resposta é não”, disse Maria Leticia.

A parlamentar destacou ainda que encontrou alguns profissionais do programa Mais Médicos, durante as visitas às Unidades de Saúde de Curitiba e reforçou que vagas para médicos em rincões é real, mas são praticamente ignoradas. Para ela, a solução está em investir nas universidades federais e estaduais para que novos profissionais se formem e os serviços sejam prestados à população nas localidades em que há demanda.

Maria Leticia também salientou algumas das dificuldades sofridas pelos médicos que assumem compromisso profissional no interior. Ela deu como exemplo um paciente que precisa de intervenção cirúrgica e não há equipamentos adequados , assim como a necessidade de remoção do paciente para uma região com mais estrutura e não há condições de transporte. “Minha grande preocupação é a condição de trabalho. Tem que se investir no interior, não somente mandar médicos pra lá”, finalizou a médica.

 

Notícias relacionadas

Vereadora Maria Leticia visita Unidade de Saúde Atenas
Vereadora Maria Leticia incentiva estudantes de medicina a participarem da política
Maria Letícia: “Abrir novas faculdades de medicina no estado do Paraná é um decisão politiqueira”