Maria Leticia discute aborto por estupro e a possibilidade de identificar agressor

Representando o Instituto Médico Legal do Paraná, a médica legista Maria Leticia Fagundes participou de uma reunião técnica no Hospital de Clínicas do Paraná, nesta quinta-feira (22). O tema do encontro foi acerca da “cadeia de custódia” , no caso, qual a medida mais adequada em relação ao material de aborto proveniente de gestação de estupro.

O objetivo do armazenamento seria identificar os agressores, porém pelo fato de muitas mulheres não registrarem Boletim de Ocorrência, há a impossibilidade de recebimento do material pelo IML. Maria Leticia, que é médica legista, se comprometeu a buscar informações oficiais junto a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Paraná- SESP-PR.

A médica vai verificar o que pode ser feito quando não há Boletim de Ocorrência e a alternativa de ser firmado um convênio com o IML, uma vez que o Hospital de Clínicas não pode armazenar o material.

A reunião teve a participação de profissionais de diversas especialidades do HC, em especial o dr Rosires de Andrade e também da Ordem dos Advogados do Brasil do Paraná – OAB PR, Sandra Lia Ledo Bazzo Barwinski.

Galeria

Notícias relacionadas

Maria Leticia se reúne com secretário de Segurança PR, Júlio Reis
Maria Leticia discute material de aborto legal no HC
Vereadora Maria Leticia orienta funcionários do ICS sobre violência doméstica