Maria Leticia fala sobre enfrentamento à violência no Pequeno Cotolengo

A vereadora Maria Leticia Fagundes, médica legista e ginecologista fez uma palestra aos colaboradores do Pequeno Cotolengo, nesta segunda – feira (19). 

 

Ela foi recepcionada pelo diretor Padre Renaldo Amauri Lopes, e falou para cerca de 70 pessoas  sobre os diversos tipos de violência cometidos, como a física, psicológica, sexual, patrimonial. 

 

Maria Leticia destacou os 12 anos da Lei Maria da Penha e disse que em 25 anos de carreira no Instituto Médico Legal – IML assistiu repetidamente a violência. 

 

“Ela era agredida, ele era preso, era somente uma briga de casal – não tinha lei respaldada . Antes de existir à violência física vai ter ofensa. Antes da mulher apanhar ela vai ser ofendida”, explicou Maria Leticia. 

 

Ela salientou aspectos positivos como a tipificação da violência, a  qual não existia, porque a mulher não tinha como fazer queixa.

 

“Outro aspecto positivo são as medidas protetivas de urgência à ofendida. O juiz determina ou encontra alguma forma de trazer segurança física e emocional para essa mulher”, complementou a legista. 

 

Ao apresentar exemplos de casos atendidos caracterizados no Código Penal como violência de lesão leve, grave e gravíssima, a vereadora citou a preocupação com às crianças vítimas de violência. 

 

No final, ela fez um apelo: “Temos que ter essa conquista exigindo a aplicação da lei e isso só vai acontecer se não desistirmos”, disse Maria Leticia. 

Galeria

Notícias relacionadas

Teatro Reviver Magó recebe evento “Queremos todas vivas”
Como tirar uma procuradoria do papel e construir uma rede de apoio nos municípios?
Procuradoria da Mulher na Câmara Municipal completa 2 anos