Maria Leticia opina sobre violência contra mulheres em coluna no Jornal do Ônibus

Jornal do Ônibus 

 

Todos deveriam concordar que é inadmissível mulheres serem espancadas, enforcadas, estranguladas, baleadas ou submetidas a  qualquer tipo de violência por ex parceiros, maridos… desconhecidos. Mas os noticiários nos mostram o contrário, até mesmo os que não são denunciados ou não são classificados como feminicídio, mas chegam ao nosso conhecimento. Um levantamento informal revela que nos primeiros 20 dias de 2019 foram mais de 100 casos de feminicídio no Brasil. 

Analisar a violência contra a mulher  é entender que há uma constante de relacionamento abusivo. A prevenção ao discutir a violência de gênero nas escolas, no trabalho e o atendimento humanizado e completo (quando já existe a violência) poderia diminuir essas estáticas futuramente. 

Outro ponto é a medida protetiva – uma ferramenta para proteger mulheres vítimas de violência doméstica e familiar, a qual usa como base a Lei Maria da Penha. As medidas devem ser concedidas e também fiscalizadas pelo Estado para terem eficácia. A luta não é em vão para transformar essa realidade. A luta é por vidas que serão  respeitadas.

Galeria

Notícias relacionadas

Semana do combate à violência contra a mulher.
Vereadora Maria Leticia defende prioridade de trabalho às vítimas de violência
Vereadora Maria Leticia afirma que a vítima de violência nunca é culpada