“Não há medicina sem amor”, afirma Vereadora Maria Leticia no aniversário da Maternidade do Bairro Novo

Como presidente da comissão de Saúde da Câmara, a vereadora Maria Leticia Fagundes (PV), participou da comemoração do 20º aniversário da Maternidade do Bairro Novo, no Sítio Cercado. Na oportunidade, ela destacou a importância do carinho no atendimento. “Não há medicina sem amor, e é isso que vemos no parto humanizado”. O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, entregou um cardiotocógrafo, equipamento para verificar a vitalidade do feto.

Na maternidade, nascem cerca de 200 crianças por mês, dentro da metodologia do parto humanizado e com atendimento 100% SUS. “Este aniversário da maternidade enche meu coração de alegria. Eu construí esse endereço de vida e vim entregar o cardiotocógrafo, que torna a maternidade ainda melhor”, disse Greca, que elogiou a qualidade do serviço e a delicadeza dos funcionários. "Tudo muito digno do bem que nós queremos para Curitiba”, declarou o prefeito, ao percorrer as instalações da maternidade. A comemoração no Bairro Novo faz parte da programação dos aniversário de 324 anos de Curitiba.

A estrutura da Maternidade Bairro Novo, na época da construção, foi importada dos Estados Unidos, em parceria com a Organização Mundial da Família e a Associação Saza Lattes de Proteção à Maternidade. “Naquela época, percebemos que a expansão populacional desta região carecia de estrutura de saúde. Acertamos, pois passados 20 anos a maternidade continua útil para a população e é modelo para muitas entidades semelhantes”, disse o secretário municipal da Saúde, João Carlos Baracho.

Atenção à gestante

Vanessa do Carmo Borges, 37 anos, teve a primeira filha, Jéssica, na Maternidade Bairro Novo há 19 anos e, em 30 de janeiro, deu à luz Laura. Ela tem mais duas filhas, Taísa, de 14 anos, e Vitória, de 10 anos. Elas participaram da homenagem da maternidade ao prefeito e também foram homenageadas pelo Dia Internacional da Mulher.

Ivana Busato, diretora-geral da Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (Feaes), responsável pela gestão da maternidade, reforçou o atendimento individual a cada mãe e bebê. “Nossa prioridade é garantir que, no momento de fragilidade, todos tenham apoio e atenção humanizados”, disse Ivana ao lado da diretora da Maternidade Bairro Novo, Edinalva Ferreira.

Desde 1998, um ano depois de ser inaugurada, a maternidade se vinculou à Iniciativa Hospital Amigo da Criança (Ihac), idealizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O objetivo é evitar o desmame precoce, ajudando a mãe a iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto. 

Participaram da cerimônia os vereadores Marcos Vieira e Mauro Bobato, os administradores das Regionais Pinheirinho, João do Suco, e Bairro Novo, Fernando Werneck Bonfim, a presidente do Instituto Curitiba de Saúde (ICS), Dora Pizzatto.

Parto humanizado

A partir de 2013, a Feaes assumiu a Maternidade Bairro Novo e implantou práticas de parto humanizado, conforme orientação do Ministério da Saúde. A maternidade se tornou referência para o atendimento de gestantes de risco habitual, conforme previsto no Programa Mãe Curitibana. A assistência garante atendimento integral das necessidades à saúde da gestante, parturiente, puérpera com intercorrências até 30.º dia e ao recém-nascido até 30.º dia.

Desde o início da administração da maternidade pela Feaes até o ano passado, foram feitos 7.436 partos, 1.853 cesáreas e 5.583 normais, aproximadamente 75%, próximo ao recomendado pela OMS, de 85%. Faz em média 200 partos por mês e conta com 44 leitos.

A maternidade utiliza métodos não farmacológicos para o alívio da dor e promoção do conforto. Massagens, exercícios respiratórios, caminhada, banho terapêutico, exercícios na bola, são algumas das práticas utilizadas para que a mulher se sinta segura e confortável.

Para garantir que está tudo bem com o bebê e detectar precocemente alguma possível complicação, a maternidade oferece exames de ecografias agendados pelas Unidades Básicas de Saúde. Também faz os testes do pezinho, para identificar precocemente doenças como o hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria e fibrose cística; da orelhinha, (triagem auditiva neonatal) para detectar problemas de audição; e do coraçãozinho, que identifica problemas nas funções ou estrutura do órgão.

Intimidade

Na Maternidade Bairro Novo, são agendadas visitas semanais para que as gestantes conheçam o local e recebam informações sobre o parto, cuidados com o bebê, aleitamento materno e elaboração do plano de parto para que se sintam mais seguras.
Com o objetivo de acolher a parturiente, humanizar o atendimento, promover a interação da gestante com a equipe de saúde, e fortalecer o vínculo entre mãe e pai, os enfermeiros obstetras, com o apoio da equipe de técnicos de enfermagem, pintam a barriga da parturiente a “ecografia ecológica”, simbolizando a posição do feto no abdômen materno.

Após o nascimento, os enfermeiros obstetras também fazem a árvore da vida, uma impressão da placenta no papel, entregue às puérperas com a data e o nome do bebê, como recordação. Rodas de conversa tranquilizam mães e pais nos cuidados pós-parto.

Texto: Prefeitura Municipal de Curitiba

Edição: Assessoria de comunicação vereadora Maria Leticia Fagundes 

Notícias relacionadas

Maria Leticia visita Maternidade Vitor Ferreira do Amaral
Maria Leticia visita Ambulatório do DIU Maternidade Bairro Novo
Vereadora Maria Leticia questiona gestão da FEAES e presença de doulas em visita à Maternidade do Bairro Novo