O preço da morte

Muitas pessoas evitam falar sobre a morte. O momento de luto tem causado um valor material significativo quando se trata da cobrança funeral. A primeira queixa dos usuários do Serviço Funerário Municipal é a exigência das funerárias para a realização da tanatopraxia.

Para compreender melhor, trata-se da preparação do corpo quando este representa um risco para o meio ambiente – caso esteja contaminado por bactérias – , quando necessita de deslocamento por mais de 250km ou quando tem enterro previsto para depois de 24h.

Para garantir que seja adquirido somente o necessário para o sepultamento, tramita na Câmara de Curitiba projeto de lei que regulamenta a obrigatoriedade de procedimentos de preparação do corpo. Acompanhe pelo site vereadoramarialeticiafagundes.com

Notícias relacionadas

Abuso das funerárias
Vereadora Maria Leticia quer regulamentar serviço de funerárias
Gazeta do Povo – Lei evita que familiares contratem serviços funerários que nem sempre são necessários