Projeto da Vereadora Maria Leticia sugere regulamentar Lei Maria da Penha: Servidoras agredidas teriam licença de até 6 meses

Com o objetivo de regulamentar a Lei Maria da Penha no serviço público de Curitiba, projeto dos vereadores Maria Letícia (PV) e Tico Kuzma (Pros) sugere que servidoras vítimas de violência tenham até seis meses de afastamento remunerado. A intenção seria proteger a mulher de nova violência. “Mesmo que o agressor tenha se afastado do lar, conhece a rotina de trabalho da vítima, horários e endereços, logo ela é alvo fácil para novas agressões”, explica a parlamentar (005.00042.2017).

 

Pela proposição, o afastamento remunerado em caso de agressão valeria para funcionárias da Prefeitura de Curitiba, na administração direta ou indireta, e da Câmara de Vereadores. A proposição garante que, com o afastamento, além do salário, também não haverá prejuízo de qualquer outro direito ou vantagem legal. O afastamento, explicam os vereadores, está baseado no artigo 9º da Lei Maria da Penha – que no inciso II, §2º, determina a manutenção do vínculo trabalhista, quando necessário o afastamento do local de trabalho, por até seis meses.

 

“Com a aprovação da presente lei, estaremos implantando uma política pública para garantir um direito estabelecido na lei federal”, explica o vereador Kuzma. A tipificação da agressão, determina a proposição, também segue a Lei Maria da Penha. A norma prevê cinco tipos de violência: física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral. Para usufruir do afastamento remunerado, é necessária a expedição de medida protetiva emitida pelo Poder Judiciário.

 

Assessoria de Comunicação Câmara Municipal de Curitiba

Texto: Claudia Krüger

Revisão: José Lazaro Jr.

Notícias relacionadas

PROTEÇÃO PARA SERVIDORAS QUE SOFRAM VIOLÊNCIA DE GÊNERO
Projeto da Vereadora Maria Leticia recebe parecer favorável da Comissão de Legislação
Vereadora Maria Leticia Fagundes indica recursos para Casa da Mulher Brasileira