Teatro Reviver Magó recebe evento “Queremos todas vivas”

Debate sobre feminicídio pela perspectiva de uma médica-legista tem entrada gratuita 

No dia 28 de abril, às 19h, o Teatro Reviver Magó vai receber o evento “Queremos todas vivas”, dedicado ao combate do feminicídio, crime que mata 4 mulheres por dia no Brasil. Na programação, estão previstas rodas de conversa e a palestra “O feminicídio pelo olhar de uma médica-legista”, com a presença da médica do IML e vereadora de Curitiba, Dra. Maria Leticia Fagundes. 

Com 25 anos sendo médica-legista no Paraná, Maria Leticia atendeu inúmeras vítimas de violência doméstica e feminicídio durante sua atuação no Instituto Médico Legal (IML). 

 “São muitos anos orientando mulheres vítimas dos mais variados tipos de violência: de gênero, doméstica, estupro e, nos casos extremos, quando nao há mais o que fazer, feminicídio. Mantemos o trabalho de levar palestras ao maior número de pessoas e lugares para ampliar o debate sobre o assunto, evitando que mais vidas sejam perdidas, como é o caso da querida Magó, que perdemos por esse crime bárbaro”, afirma Maria Leticia que é responsável pela programação. 

O evento é gratuito e em parceria com a Prefeitura de Maringá, a Secretaria da Mulher do PV/PR e a Secretária de Cultura de Maringá. 

As vagas são limitadas e os interessados devem fazer sua inscrição antecipada pelo link https://www.sympla.com.br/evento/queremos-todas-vivas 

Para quem participar, haverá entrega de certificados. 

Homenagens a Maria Glória, a Magó 

O evento no Teatro Reviver Magó também faz parte de uma homenagem à jovem Maria Glória Poltronieri Borges, conhecida como Magó,  que foi vítima de feminicídio em janeiro de 2020, em uma cachoeira no município de Mandaguari, próximo a Maringá. 

Magó era uma mulher multi-artista, dançarina, pandeirista, capoeirista, professora e pesquisadora.  Sua morte comoveu e mobilizou muitas pessoas não só no norte do Paraná como no Brasil e em cidades fora do país. 

Sua história virou símbolo de luta contra o feminicídio e reúne homenagens pelo Paraná, como o Jardinete da Magó, no bairro Fazendinha, em Curitiba, o Teatro Reviver, que agora se chama Reviver Magó, e duas instalações na Praça Todos os Santos: Madeixas de Magó do artista Paolo Ridolfi e Magó o Feminino é Sagrado, intervenção feita por muitas mãos e parte do projeto idealizado pela professora Sheilla Souza, do curso de Artes Visuais da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Magó ainda inspirou o PL 354/2021 LEI MAGÓ que tramita na Câmara Federal. A proposta incentiva empresas a criarem anúncios que contribuam com a diminuição das diferenças entre homens e mulheres, elevando a representatividade feminina na sociedade. A prefeitura de Mandaguari também instituiu o dia 25 de janeiro como dia municipal da luta contra o feminicídio.

Maria Leticia

Maria Leticia Fagundes é ginecologista, médica-legista e vereadora pelo Partido Verde em Curitiba. Sua trajetória política foi inspirada em seu longo histórico de atendimento às vítimas de violência, de lesão corporal a feminicídio. Em seu 2o mandato, Maria Leticia foi considerada pelo ranking de Jornalistas Independentes do Jornal Plural a vereadora mais produtiva da capital, com projetos nas áreas da saúde, meio ambiente e defesa das mulheres. Na palestra “Queremos Todas Vivas: o feminicídio pelo olhar de uma médica-legista”, a médica compartilha o que aprendeu em mais de décadas no IML.


Na mídia:

CBN MaringáMédica-legista fala sobre feminicídio em Maringá

https://www.cbnmaringa.com.br/noticia/medica-legista-fala-sobre-feminicidio-em-maringa

O fato Maringá – Médica faz palestra sobre feminicídio dia 28 em Maringá

https://www.ofatomaringa.com.br/blog/ler?link=medica-faz-palestra-sobre-feminicidio-dia-28-em-maringa-

Notícias relacionadas

Feminicídio: Como promover o debate e chamar atenção sobre um crime que mata 4 mulheres por dia no Brasil?
Como tirar uma procuradoria do papel e construir uma rede de apoio nos municípios?
Queremos Todas Vivas: Dia Estadual do Combate ao Feminicídio terá ação no centro de Curitiba