Vereadora Maria Leticia apoia campanha de revitalização do Rio Belém

A preservação do meio ambiente, o ecodesenvolvimento, a reciclagem e a recuperação ambiental permanente é um dos Doze Valores Fundamentais do Partido Verde. O tema ecologia  foi um dos assuntos tratados pela vereadora Maria Leticia Fagundes em reunião com o colega correligionário deputado estadual Rasca Rodrigues.  "O que é ser ecológico em Curitiba?", foi o questionamento levantado na sexta-feira (24), durante a visita da parlamentar à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP).

A preocupação dos legisladores  envolveu ainda a situação do Rio Belém, cuja nascente e foz estão dentro do município curitibano, passando por 37 bairros de norte a sul. A poluição do rio motivou a realização de vários projetos para revitalização do Rio Belém, como o do deputado Verde que pretende alcançar as escolas municipais com estratégias de educação ambiental. A vereadora Maria Leticia se colocou à disposição para abraçar a campanha “+Vida no Rio Belém”, criada em novembro de 2016 pelo deputado. “Pode contar comigo”, se comprometeu a parlamentar.

Cartilha Educativa

Intitulada “Vamos dar vida ao Rio Belém?”, a cartilha oferece de forma objetiva e didática informações gerais sobre a Bacia Hidrográfica do Rio Belém; o trajeto completo do Rio Belém, da sua nascente no bairro Cachoeira até sua foz no Rio Iguaçu e seus principais afluentes. 

 

Já os capítulos seguintes trazem um raio-x da situação crítica em que se encontra o Rio Belém, com base em levantamentos recentes da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e do Instituto Ambiental do Paraná. Os dados mostram que a Bacia do Belém é a mais poluída entre as seis bacias hidrográficas de Curitiba. 

 

Na parte mais direcionada para uma ação coletiva, a publicação apresenta os principais motivos da poluição dos rios urbanos, que, no caso do Belém, são as ligações irregulares de esgoto, o descarte clandestino de resíduos da construção civil e a degradação das mata ciliares com a ocupação irregular de suas margens.

 

De acordo com dados apresentados na cartilha, 90% da poluição das águas do Rio Belém tem origem na descarga irregular do esgoto doméstico. Somente nos 37 bairros que compõem a Bacia do Belém ainda há 9.153 ligações irregulares de esgoto, apesar de 95% dos imóveis possuírem cobertura da rede coletora da Sanepar.

Com informações site deputado Rasca Rodrigues 

Notícias relacionadas

Projeto de Lei que combate à pobreza menstrual é aprovado em Curitiba
Vereadora Maria Leticia Fagundes ‘É inimaginável um servidor público ser agredido no seu trabalho..”
Vereadora Maria Leticia afirma que a vítima de violência nunca é culpada