Vereadora Maria Leticia quer debater segurança em UPAs

A Comissão de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte da Câmara de Vereadores recebe, nesta segunda-feira (8), o secretário da Defesa Social de Curitiba, Algacir Mikalovski, e o diretor da Guarda Municipal, inspetor Odgar Nunes Cardoso. O objetivo é debater medidas contra a falta de segurança nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da cidade. Na UPA Boa Vista, por exemplo, uma paciente foi presa depois de agredir uma enfermeira, no dia 20 de abril. A reunião será realizada às 8h30, na sala 2 das comissões.

Presidente da Comissão de Saúde e médica, Maria Leticia Fagundes (PV) apresentou um relatório, nesta semana, com considerações sobre as visitas às UPAs da cidade. O documento foi entregue ao prefeito Rafael Greca e ao secretário municipal da Saúde, João Carlos Baracho. Segundo a vereadora, em todas as unidades os servidores relataram problemas, como assédio moral e violência física que resultaram, inclusive, em boletins de ocorrência e internamentos hospitalares. “Isso acontece há muito tempo.”

“A gestão tem a obrigação de fazer o acompanhamento e proteger o servidor”, defende Maria Leticia. O relatório sugere o controle da entrada dos usuários, a presença de assistentes sociais em todas as UPAs e a criação de uma ouvidoria para os servidores, dentre outras medidas. “Está documentado, com fotografias, até mesmo a entrada de cães nos equipamentos públicos”, aponta a presidente da comissão, autora de projeto de lei (005.00220.2017) para regulamentar e uniformizar os atendimentos nas UPAs de Curitiba.

O colegiado de Saúde também reúne Osias Moraes (PRB), vice-presidente, Mestre Pop (PSC), Noemia Rocha (PMDB) e Oscalino do Povo (PTN).
 
Outras comissões
A Comissão de Direitos Humanos, Defesa da Cidadania e Segurança Pública terá cinco projetos na pauta da reunião desta segunda, após a sessão plenária. Um deles, do vereador Tico Kuzma (Pros), determina que pacientes idosos e com deficiência possam agendar consulta por telefone na unidade de saúde em que estiver cadastrado (005.00073.2017).

Completam a pauta: projeto de Helio Wirbiski (PPS) para que empresas prestadoras de serviços continuados, como telefonia e assinatura de jornais e revistas, tenham ao menos um posto de atendimento presencial na cidade (005.00026.2017); proposta (005.00112.2017) para disponibilização de cadeira de rodas, banheiro e bebedouro aos clientes, em agências bancárias com mais de 150 m2, de Dr. Wolmir Aguiar (PSC); regularização fundiária simplificada, iniciativa de Toninho da Farmácia (PDT) desarquivada pelo plenário (005.00099.2017); e a contratação de vigilantes do sexo feminino pelos bancos, projeto (005.00144.2017, com o substitutivo 031.00019.2017) de Julieta Reis (DEM).

Presidida por Rogério Campos (PSC), a Comissão de Direitos Humanos também reúne Beto Moraes (PSDB), vice-presidente, Ezequias Barros (PRP), Goura (PDT) e Maria Leticia Fagundes.

Texto:          Fernanda Foggiato
Revisão:          Filipi Oliveira
Foto: Chico Camargo CMC

Notícias relacionadas

Vereadora Maria Leticia reconhece dedicação dos profissionais na UPA Boqueirão
Maria Leticia participa de reunião do Conselho de Saúde CIC
Maria Leticia questiona fechamento da UPA Pinheirinho